Transmutation News Fevereiro de 2012

Espero que tenha conseguido participar na cerimónia realizada em Janeiro, na qual enviámos bênçãos a toda a água do mundo e absorvemos essas bênçãos ao beber um copo de água na Lua Cheia. Sei, por mim, que me senti muito bem e cheia de energia!

Todos queremos ver mudanças positivas nas nossas vidas e no planeta. E queremos vê-las agora! Esta é a escolha do ego. E a grande questão é que, como estamos todos numa jornada espiritual, o ego pode não conseguir o que quer, na forma que quer e na altura que quer.

Se pensarmos num comboio que nos transporta a uma nova estação, se levarmos connosco todo o “lixo antigo”, esse mesmo lixo irá acompanhar-nos quando sairmos na próxima paragem.

A chave é estar presente com o aqui e agora. Nos últimos meses de 2011 escrevi bastante sobre o poder do amor universal e a necessidade de trazer ao mundo amor incondicional.

Não há possibilidade de sermos um vaso do amor universal e incondicional se não nos amarmos. Isso, simplesmente, nunca vai acontecer. E, para prosseguir com o trabalho de Medicine for the Earth, devemos ser amor para conseguirmos ver o amor manifestar-se no mundo.

Se não nos podemos amar e perdoar pelas nossas acções e comportamentos passados, então iremos carregar com todos os nossos fardos para o futuro. E são todos estes velhos fardos, julgamentos, falta de amor, que criam os problemas que actualmente temos. Se não os curarmos, iremos carregá-los no futuro e nada muda.

Precisamos de aprender a trazer o amor universal e incondicional a nós mesmos. Estamos tão treinados para dar! E agora sabemos, através de investigações médicas e psicológicas, que a tendência para dar de mais causa doenças físicas.

Neste mês, dê atenção a si mesmo! Dedique-se algum tempo, todas as manhãs, assim que se levanta, ou antes de se deitar. Coloque uma música de que goste. Ponha as mãos no coração. Conecte-se com o seu espírito divino interior, que é pura luz e amor universal. Deixe o amor pulsar através de cada célula do seu ser.

À medida que libertamos tudo o que é velho, que precisa de ser curado para que o espírito do amor e da luz entrem, estamos livres para criar algo novo para o futuro. De outra forma, permanecemos a criar toda a mesma avalanche de coisas velhas das quais nos tentamos continuamente libertar.

Neste tempo em que tenho feito viagens xamânicas e meditado sobre as minhas metas pessoais para 2012, sinto-me cada vez com mais vontade de aprofundar a minha sabedoria espiritual e acordar do transe do colectivo.

Desde criança que tenho percebido que, como humanos, temos muito mais potencial do que, na realidade, estamos a conseguir alcançar. E, a cada ano que passa, sinto-me frustrada com uma certa falta de movimento. Tem havido imensas mudanças positivas e de consciência. E eu aprecio o quanto as pessoas têm crescido e evoluído. No entanto, também sabemos que utilizamos muito pouco do nosso cérebro. Ainda estamos a dormir em muitas áreas!

Nascemos com um modelo de como viver uma vida saudável e significativa. Mas, como nos desligámos do viver em harmonia com a natureza e da nossa profunda sabedoria espiritual, desconectámo-nos do nosso projecto.

Toda a mudança começa com a definição de uma intenção. É importante redefinir a sua intenção para despertar. Parte dessa intenção precisa de ser sobre o voltarmos a conectar-nos com a natureza, pois somos um com ela. Precisamos de redefinir a nossa intenção de nos conectarmos com a nossa sabedoria espiritual mais profunda. Precisamos de definir a intenção de acordar do transe colectivo. Isto significa que devemos perceber de que forma continuamos a distrair-nos de uma conexão com o nosso conhecimento interno.

Todos estávamos programados para ter um enorme potencial criativo espiritual. Mas, como nos desconectámos da nossa própria programação interna e nos conectámos com a programação externa da massa colectiva, ficámos em transe e esquecemo-nos do que somos capazes. Há dimensões da realidade que não estamos a ver porque estamos demasiado adormecidos para estar atentos às frequências e energias mais altas, que circulam em nós e à nossa volta. Estamos adormecidos, inclusive, para uma inteligência superior na própria natureza.

É hora de acordarmos para o que nascemos a saber. Fazendo este compromisso a paixão criativa dentro de nós alimenta-se, dando-nos nova energia para avançar na vida.

A lua cheia é a 7 de fevereiro. Vamos, juntos, definir a nossa intenção de acordar do transe colectivo. Concentre-se na sua luz espiritual e junte-se à nossa comunidade, irradiando essa luz, enquanto continuamos a tecer uma teia de luz dentro e por toda a terra.

Mantenhamos a nossa comunidade na luz, ajudando a curar os que mais precisam. Lembre-se do poder exponencial do trabalho em comunidade. Como temos uma intenção em conjunto, o poder do nosso trabalho é multiplicado. Sonhe mais uma vez com o potencial ilimitado que nasceu com os humanos e vamos apoiar-nos uns aos outros para manifestarmos juntos o nosso potencial.

Aqui fica uma citação de John Muir para nos inspirar este mês:

“Quando se puxa uma única coisa na natureza, descobre-se que atrás dela vem o resto do mundo.”

Recommended Posts