Transmutation News Novembro de 2011

O meu pai, Aaron Ingerman, morreu aos 97 anos na noite de 21 de Outubro, um pouco antes das 20h. Morreu num verdadeiro estado de paz e graça, com as mãos no coração e a expressão mais tranquila. Agora, está num local muito mais bonito.

Havia um CD de música de harpa que tocou durante toda a tarde e toda a noite. E tivemos pessoas amorosas, sentadas em meditação silenciosa, com o meu pai ao longo do dia.

O meu pai era um homem extraordinário. Foi o melhor pai que uma rapariga poderia sonhar ter! Tomou bem conta de mim.

Foi amado, honrado e respeitado pela sua generosidade de espírito e pelo seu sentido de humor. Adorava fazer jardinagem e pintar. Trabalhou muito para sustentar a família. E sempre disse, na sua reforma, que só queria descansar.

Que descanse em paz e amor.

Peço-vos que se juntem a mim no agradecimento a Aaron Ingerman por ter embelezado a Terra com a sua presença. Ele deu tanto a tanta gente e eu só quero dizer-lhe que muitos lhe agradecem em resposta!

A mulher dele e minha mãe, Lee Ingerman, fará 97 anos em breve. Obrigada por se juntar a mim nas orações, desejando-lhe muita paz e conforto durante este tempo.

No mês passado escrevi sobre a necessidade de nos chamarmos de regresso a casa, de forma a podermos estar presentes para o que realmente necessita de ser cuidado nas nossas vidas e no nosso trabalho espiritual.

Continuei a trabalhar neste tema com os meus espíritos auxiliares e nas minhas próprias viagens xamânicas foi-me mostrado um outro aspecto que quero partilhar consigo.

Nas tradições espirituais há diferentes palavras para descrever o nosso ego, opondo-o ao nosso espírito superior. Em alguns ensinamentos isto é descrito como “will” e “Will”. Algumas tradições falam de “self” e “Self”. Dependendo da tradição, encontramos vocabulários diferentes usados para descrever o estado de separação em oposição ao estado de unidade.

Para sobreviver, necessitamos de uma forte vontade. É uma parte de nós muito primária, com uma forte energia que nos mantém vivos face a uma variedade de desafios que ocorrem fisicamente.

Mas o que os meus espíritos auxiliares partilharam comigo é a necessidade de alinhar o will/self com Will/Self, de forma a que a nossa força primária de viver esteja alinhada com o propósito mais elevado/profundo.

Hoje assistimos a um desalinhamento entre o “self” e o “Self”. E isto está a criar estados de violência, ganância, desejo de poder, abuso e doença a todos os níveis. Entre o que o “self” quer e ao que o “Self” nos conduz há, muitas vezes, dois resultados diferentes.

A falta de alinhamento cria desarmonia, que produz doenças a um nível pessoal e colectivo. A chave é trabalhar no alinhamento entre o nosso espírito divino e o nosso propósito maior.

Foi-me claramente mostrado que os desafios que experienciamos hoje no mundo acontecem por uma clara razão. A lição para todos nós é a de que devemos alinhar o nosso propósito maior de cuidar do nosso jardim na terra. Escrevi sobre o nosso propósito de sermos cuidadores em Medicine for the Earth.

Quando nos conseguimos alinhar, conseguimos então render-nos ao nosso espírito e sabedoria interior. Quando conseguimos render-nos ao nosso espírito divino, então as lutas param.

Lembro-me de em 1990 estar a passar por uma iniciação e senti-me perdida, sem saber como atravessar as grandes mudanças da minha vida. As duas coisas que passei a repetir ao longo do dia como um mantra foram: “A única saída é atravessar isto” e “A força do meu espírito vai levar-me através da escuridão”.

Este período foi muito poderoso para mim. Apesar de não desejar passar de novo por tudo aquilo, acabei por ficar agradecida pela mudança que esta iniciação gerou em mim. Senti como se tivesse renascido e fui uma pessoa diferente, operando de um lugar diferente de sabedoria e poder espiritual.

Depois desta experiência reflecti uma série de vezes sempre que grandes mudanças e desafios aconteciam na minha vida. E consegui ver, realmente, que o que me permitiu sobreviver a tempos tão difíceis foi sempre a força do meu Espírito. Não foi o meu ego que me permitiu atravessar estas dificuldades. Foi o meu Espírito que me suportou através das situações e fez a diferença.

Os meus espíritos auxiliares foram muito claros comigo. Para a vida continuar nesta terra fantástica temos de nos alinhar com o nosso propósito maior.

Neste mês, peço a todos que se concentrem numa intenção de alinhar o nosso “will” com o nosso “Will”; o nosso “self” com o nosso “Self”. Medite em alinhar-se com o seu espírito divino. Eu sei que este tem sido o nosso propósito juntos enquanto comunidade global. Mas achei úteis as palavras dadas pelos meus espíritos auxiliares na mudança da configuração da minha intenção diária.

São muitas as recompensas por fazer isto. A vida torna-se mais fácil, irradia alegria através de nós e tornamo-nos mais saudáveis a todos os níveis. Então encorajo-o a concentrar-se de verdade neste trabalho ao longo do mês. E mantenha o seu foco no alinhamento!

A Lua Cheia é a 10 de Novembro. Foquemo-nos em alinhar os nossos seres superiores com os outros na nossa comunidade global e irradiar a nossa luz através do planeta e da rede inteira de luz e de vida.

Para todos os que são novos a ler a Transmutation News , por favor leia as instruçõs para a nossa cerimónia mensal na Página Principal: “Creating A Human Web of Light”.


Copyright 2011 Sandra Ingerman

Translation: Sofia Frazoa

Recommended Posts