Transmutation News Janeiro de 2017

Juntemos os nossos corações e desejemos a todos no nosso círculo o melhor para o Ano Novo!

Eu sei que muitos de vocês tiveram um 2016 desafiante e estavam desejosos para que o ano terminasse. Eu também sinto o mesmo. Mas, na verdade, a mudança de ano não assinala o fim de um ciclo porque o tempo continua em movimento.

No entanto, numa perspectiva xamânica, a mudança acontece através da intenção. Por isso, em vez de esperarmos ver a mudança a acontecer magicamente, sem agirmos, podemos ser mais proactivos com o trabalho que fazemos.

Esta é uma altura para reflectirmos no que aconteceu nas nossas vidas e no mundo em 2016. É muito importante definirem a intenção do que gostariam de ver manifestado na vossa própria vida e no mundo. E, como temos vindo a fazer há muitos anos, é muito importante continuarmos com o nosso trabalho de sonharmos a realidade que queremos manifestar e de fortalecermos a nossa intenção. Também é importante mantermo-nos firmes no colectivo para que, dessa forma, tenhamos mais poder espiritual para manifestarmos no mundo exterior as intenções e sonhos que definimos nos mundos invisíveis.

Uma das queixas que ouço de muitos praticantes de xamanismo de várias partes do mundo (incluindo eu própria) é que somos sobrecarregados por clientes à procura de ajuda porque sentem que foram amaldiçoados. Quando examino esta questão, penso que, na maioria dos casos (não todos), as pessoas estão a sentir a negatividade do campo colectivo de energia e sentem que a raiva e o ódio são dirigidos a si. E, a um certo nível, esta raiva e negatividade estão a ser dirigidas a todos porque estamos todos ligados. O que é enviado para uma pessoa é enviado para todos. Já escrevi várias vezes sobre isto.

Ao aprofundarmos o nosso trabalho espiritual, primeiro aprendemos a impor limites para distinguir o que é a energia que estou a sentir dos outros ou do colectivo e qual é a minha própria energia. E, ao continuarmos o nosso trabalho espiritual, podemos separar-nos do denso campo colectivo e mudarmos para o campo que sustém uma vibração mais elevada, preenchido com luz e amor.

Penso que, com tanto ódio e raiva enviados para o colectivo, realmente precisamos de nos focar em limpar e elevar esta energia, transmutá-la e transfigurá-la.

E claro que o primeiro passo é connosco, pois o que alimentamos cresce. É muito importante fazermos as nossas práticas espirituais, que nos ajudam a regressar ao nosso próprio centro, a expressar os nossos sentimentos verdadeiros, enquanto também nos asseguramos que estamos a transformar a energia por detrás das nossas emoções para que sejamos uma luz no mundo.

Este é o trabalho que sugiro que façamos para receber o Ano Novo.

Escolham um dia em que possam realizar algum trabalho espiritual pessoal. Podem decidir fazê-lo com amigos, família ou elementos da vossa comunidade.

Viajem ao vosso interior e experienciem uma desilusão, mágoa, traição, medo, alguma coisa com a qual estejam zangados, uma crença sabotadora, etc, que estejam dispostos a largar e, assim, estarão a participar na cura do colectivo. Podem fazer uma viagem aos vossos espíritos auxiliares a pedir um conselho sobre o que seria bom deixar ir neste momento.

De seguida, viajem ou meditem numa cerimónia física que possam realizar em casa ou na natureza para libertar estas emoções ou crenças desafiantes num elemento – ar, terra, água ou fogo.

Há mais poder se realizarem esta cerimónia fisicamente, em vez de a fazerem numa viagem xamânica ou meditação. Ao fazerem uma cerimónia na realidade visível têm de realizar acções físicas em direcção à vossa própria cura e à cura do colectivo. Consome tempo e energia fazê-lo, o que é recompensado pelos poderosos resultados.

Ao libertarem o que se disponibilizaram a largar, lembrem-se de transmutar a energia em luz e amor e, assim, não estão apenas a libertar mais energia negativa para os elementos. E se queimarem alguma coisa, deixarem algo na terra, libertarem algo num corpo de água ou no ar, por favor lembrem-se de utilizar apenas materiais naturais para que não poluam o ambiente. Usem a vossa imaginação para vos guiar numa cerimónia e num objecto que possam fazer e que está empoderado com o que querem libertar.

Tenho de realçar o seguinte ou recebo emails e cartas de alguns leitores. Ter emoções é bom. Viemos como humanos para experienciar uma série de emoções, desde a alegria à raiva e ao ódio. Não estou a sugerir que é pouco saudável expressar emoções, mas transmutem a energia por detrás das vossas emoções para que o que preenche o colectivo seja luz e amor a envolverem toda a vida.

Depois de terem realizado a cerimónia que queriam, viajem ou meditem ao Rio da Vida. Usem a vossa intenção para encontrarem este local. Uma vez chegados ao Rio da Vida, entrem nessa água limpa, curadora e vital. Também podem ir até uma cascata. Peçam ao Rio da Vida para vos limpar, de forma a poderem recomeçar com a entrada deste Novo Ano. Quando sentirem que a limpeza terminou, saiam do rio revigorados, revitalizados e preparados para entrar no novo ano, deixando para trás a velha história que vos prende ao passado.

Iremos realizar estas viagens, meditações e cerimónias no nosso próprio tempo, mas o tempo não importa quando se faz trabalho xamânico porque trabalhamos fora dele. Por isso, o poder da nossa comunidade global a fazer este trabalho durante este mês, quando sentirem que é apropriado, irá criar uma diferença tangível nas energias colectivas a que estamos todos ligados.

A lua cheia é a 12 de Janeiro. Demorem o tempo necessário a limparem-se espiritual, mental e fisicamente antes de realizarem a nossa cerimónia de lua cheia para criar uma teia humana de luz. E, a partir de um ponto de novidade e de esperança, viajemos interiormente à nossa extraordinária luz espiritual que brilha como as estrelas por cima de nós ou como o sol que nos recorda da paixão pela vida. Absorvam essa luz através do vosso corpo enquanto a vossa própria frequência aumenta. E, depois, deixem esta luz irradiar e conectem-se com a luz da nossa comunidade global.

Imaginem-se como uma estrela gigante cujos braços cheios de luz alcançam as extremidades da Terra. A luz que sai dos vossos pés flui para o núcleo da Terra e a da vossa coroa flui para os céus. Deixem-na fluir através de vocês e irradiem essa luz e amor dentro e através da Terra.

Os novos leitores da Notícias de Transmutação podem ler ‘Creating a Human Web of Light’ na página principal deste site para instruções sobre a cerimónia de lua cheia.

Carole Laplante é a nossa nova tradutora de francês. Vamos agradecer-lhe pela generosidade de espírito!

Desejo-vos um bom ano de 2017, com o melhor que a vida tem para oferecer!

Recommended Posts